terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

A partilha

Acabei de assistir o filme "A partilha", um dos poucos filmes brasileiros que eu gosto, acho que por me identificar com um pouco de cada uma das 4, o lado louco da Regina, o jeito mole da mais velha (cuja eu já esqueci o nome), por ser caçula como a Laurinha e com o sentimento que a Selma deposita no apartamento dos pais, não querer vender para não se separar das irmãs.
Não queria que o colégio acabasse por isso, por causa da separação, não somos 4, somos mais que isso, não somos irmãos de sangue.. mas qm sabe de alma?
Parei pra refletir: parar o tempo ninguém consegue, então.. a vida anda pra frente e cada um com a sua vida, única, singular, cada um com a sua rotina, com seus hobbies, atividades, familiares, colegas de rotina e assim por diante.. (ninguém tem o direito de intervir nisso alem do dono da própria vida...) e estarão felizes onde estiverem, em Guarulhos, na Vila Matilde, no Veleiros, na zona leste/oeste/norte/sul, no Suzanno, no Morumbi, na Radial leste, na Vila Olímpia, no Japão, aqui do lado, em casa, na casa de outra pessoa, no trabalho, na rua, onde estiverem estarão felizes, acho q a única "infelicidade" é causada por aquela sensação angustiante que é a saudade, sentir falta um dos outros e não ter mais o Geraldo pra nos acolher, mas seremos fortes e enfrentaremos tudo o que vier e se precisarmos por mais longe que estivemos uns dos outros estaremos prontos para ajudar. Pode ser que não seja pessoalmente, pois todos têm rotinas e tarefas a cumprir, mas por telefone, mensagens, internet (felizmente ou infelizmente) e o principal: a lembrança. Coisas passadas podem atrapalhar nosso futuro, mas é errando no passado que se constrói um futuro melhor.

Desculpa o momento filosófico causado pela minha TPM.

Gi te amo muito te amo d+
Beijinhos a todos

2 comentários:

Nanah* disse...

Tb estou na tpm! E estou num momento onde se eu estivesse no Geraldo não me sentiria tão atordoada do jeito que eu to! Quero mover o mundo mas ele é pesado demais... Não preciso necessariamente ter a presença sólida dos meus amigos, mas apenas o fato de que eles ainda são meus amigos, e que sei aonde os procurar já me alivia um peso que poderia ser maior... Sinto mto por tudo o que aconteceu. Foi algo que saiu da minha garganta agoniada, algo que me chateava, mas que nunca desejei que acontecesse... Amo vc tb.
Bjus

Man disse...

Ja tinha lido, mas não deu p/ comentar!! Relaxa, o pior ja passou e agora esta td bem! Eh bom umas crises as vezes p/ sair da rotina =P
Te amo!

=***